Consciência
conhecimento não é aquilo que aprendemos ... mas sim no que nos tornamos

POPULATION AND METROPOLIZATION

POPULATION AND METROPOLIZATION
emergentecomplexo

Gaia e SDi

Gaia e SDi

águas do Bengo, do Catumbela ou do Kurimaala

quando o corpo está num lugar e mente noutro ... primeiro que as duas se unam novamente ... qual verdadeiro processo alquímico que o tempo assim dita ...
os destinos são resolvidos na vida ... por todos os sinais que a mesma nos põe á nossa frente numa constância impressionante ... que cegos são os homens !! ... quem cai ... cai porque não vê o que devia ver, pois á frente as indicações mais precisas são todas colocadas ...
parti com algumas perguntas, e trago algumas respostas ás vezes a coisas muito diferentes ... curioso, no entanto como a vida nos surpreende constantemente no que chamo de expectável ..
digo novamente das coincidências significativas, do ir para alem do nosso ser em busca ... do que num outro lugar nos faz reencontrar o que não se explica ...
esperar a hora, o momento do entrar ... fazer o alinhamento
me tratam sempre com muito carinho nas viagens, alguém se entende profundamente quase sempre com os meus estados ... alguém me pede também sempre desculpa ... e no fundo sou muitas vezes o que equilibra, o ser da inteligência emocional e social, o espaço seguro dos que avançam por vezes para além do demais ...
como se chama mesmo o que não se pode confidenciar ... como se chama mesmo a experiência pessoal mais intensa ... como se chama mesmo o ficar doente, quando todo o sistema nervoso se altera e se fica doente a sério ... até ao mais profundo agradecimento do porto seguro ...
eu me canso por vezes de ser o abrigo ... porque também vou, também entro nos limites para além de mim, mas retorno, seguro os estados de experiência e retiro deles toda a essência ... este esforço o faço pelos outros ... e as histórias perdem-se por serem muitas.
forma pacífica e reconciliada ...
África é forte, bate fundo ... aquela imensa planície do tamanho do nosso Alentejo ... quando me descubro nas redondezas de porto Aboim ... com as gentes banhando-se em toda a sua nudez nos rios ... com os horizontes a perder de vista que não se conseguem explicar ...
as nossas decisões pessoais ... o abandono á vida, esta torrente que nos alimenta e nos suporta em ondas dum mar que possui o seu ritmo próprio
caryssinho, te entendo você é mesmo fiel a si ...
Eu vi o Bengo, o Catumbela e estive no Kurimaala ...
quando conseguir falarei sobre Angola ... se alguma vez assim for a vontade ..


Me "descurpa" faz favor
eu quero passar mamã
Quero beber água do Bengo
quero passar nele amanhã
Não tenho medo do jacaré
Por isso vou na jangada
Com a mulher do tio José
e iremos de mão dada.

ai ué..ai..ué

Ela de cachimbo na boca
Pele velha enrugada
lábios grossos de cajú
e cabelo encarapinhado
pôr-do-sol, manga doce
maçaroca e mandioca
Oléo de dendém
Rio Bengo enfeitiçado
Sou tua mais de ninguém

ai ..ai

Massemba

"É preciso beber muita água do Bengo para compreender esta Angola que emerge como potência africana."


SM, palavra fractal